Acompanhe-nos
Finanças em família: Dívidas
08/19/2017 publicado por

Para muitos ao falar em “dividas” causa certo mal-estar, pois sabem o mal que isso pode causar na vida pessoal e familiar. A Bíblia nos mostra em 2 Reis 4.1 um problema familiar causado por consequência de uma dívida. E uma mulher, das mulheres dos filhos dos profetas, clamou a Eliseu, dizendo: Meu marido, teu servo, morreu; e tu sabes que o teu servo temia ao SENHOR; e veio o credor, para levar os meus dois filhos para serem servos.” De acordo com a passagem, esta mulher era esposa de um homem que temia profundamente a Deus e mesmo sendo um servo fiel, Infelizmente ao morrer deixou um problema para sua família, ou seja, uma dívida que eles não podiam pagar gerando aflição para aquela viúva, o credor estava vindo para levar seus dois filhos para serem escravos a fim de pagar a dívida deixada pelo esposo.

Sua situação era realmente de grande pobreza. Pois não havia nada em sua casa além de uma botija de azeite. Obviamente, no seu esforço de livrar-se do débito, ela vendeu tudo. Não havia mesa, camas e utensílios de cozinha, imagino que devido sua situação já tinha vendido tudo. A única coisa que tinha sobrado era essa botija de azeite. Contudo, essa botija de azeite era suficiente para Deus trazer libertação para ela conforme os versos de 2 Reis 4.3-4.

Entendo que tudo que fazemos tem uma consequência, ao fazermos uma dívida por menor que seja terá o efeito as vezes de imediato. Nesse caso seu esposo morreu, podendo ter causado um transtorno profundo para essa família, se não fosse à provisão de Senhor ao usar o profeta para socorrê-la.

Não se faz nenhum compromisso financeiro sem antes analisar seu impacto no orçamento familiar. Devem-se considerar os que já foram feitos para que não se tenha problemas em honrá-los.

Caso aconteçam imprevistos, um desemprego, enfermidade ou os negócios que não estão indo bem, que te impossibilitam de honrar com seus compromissos financeiros. O que você tem em casa? Já parou para pensar nisso? Todos e quaisquer compromissos financeiros tem que ser contraídos dentro de um planejamento pessoal e familiar, só assim não correrá o risco de ter que abrir mão do que já conquistou com anos de muito trabalho e esforço para um credor.

Lembrem-se, imprevistos acontecem. Portanto devemos estar preparados, aconselho fazer dívida “paga”, ou seja, aquela que você tem recurso para saná-la mediante qualquer imprevisto que por ventura possa surgir em sua família.

Seja fiel com seus dízimos e ofertas e o Senhor lembrara-se de você Jl 2.19.

Que o Senhor te abençoe e lhe faça prosperar em tudo quanto propor em fazer em nome de Jesus.

 

Ev. Donair Fagundes de Souza / Coaching Financeiro

Categorias