Acompanhe-nos
O que é mais importante?
09/08/2017 publicado por

O assaltante aponta a arma para a mulher e diz:

– A bolsa ou eu te mato.

– Esta bolsa eu não posso lhe dar de jeito nenhum, seu bandido.

E…

A história parece ser bem real. Aqui não discutiremos sobre o bandido. Vamos focar a vítima.

O que há de importância na “bolsa” que ultrapassa o valor da vida?

O que há escondido dentro de nossas “bolsas” de crentes duvidosos da salvação? Momentos vulgares de prazer?  Anseios terrenos e planos de segunda categoria? Buscas equivocadas e passageiras?…

O sujeito perdeu a vida num instante porque o “Carrão” impediu que visse os limites de velocidade para a via. Escondido na sua “bolsa” havia um pacote de imprudência. E aqui não se discute ainda a vida eterna por meio de Jesus Cristo, o Salvador.  O que tem na “bolsa” do crente moderno para perder a vida agarrado nela? O salmista pergunta: Quem é o homem que ama a vida e quer longevidade para ver o bem?”Sl 34.12 (leia todo o salmo e veja a resposta)  “Filho meu, (…) guarda a verdadeira sabedoria e o bom siso; porque serão vida para a tua alma e adorno para o teu pescoço Pv 3.21-22.  Veja também Pv 14.27.

Há realmente coisas na “mochila” pelas quais não podemos viver sem elas? Deus não nos criou e nos abandonou à própria sorte. Ele nos dotou de inteligência. Deixou instruções claras em sua palavra, escolheu seus mensageiros inspirados para nos instruir. Disponibilizou promessas. Deu-nos sensibilidade e vontade própria para fazer escolhas: “segurar a bolsa ou preservar a vida?”.

Alguém,interprete da lei,  pergunta perspicazmente para Jesus: “qual é o grande mandamento da lei?” Jesus poderia tê-lo deixados sem resposta. Mas, cheio de misericórdia e amor responde:

Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.  Mt 22.36-39. Aquele interrogante teria realmente todo o coração em Deus? Teria toda a alma envolvida em Deus? Estaria preocupado realmente em entender Deus? Não. Apenas uma bolsa cheia de astúcia. João vai dizer: Deus é amor. I Jo 4.7-21 (leitura indispensável) Isto é: em primeiro lugar Deus. E o consequente amor. O Amor que se irradia como a luz e se espalha entre os homens que têm consciência de si mesmo.  “Cristo deu a sua vida por nós”.  “Amemos de fato e de verdade”

Conhecer a Deus não consiste em segurar a “bolsa”. Consiste em amar uns aos outros para que tenhamos vida eterna. Compreender a eternidade da vida passa pela fé. Reconhecer a morte sacrificial de Jesus na cruz do calvário. O amor de Deus vem acompanhado de sabedoria e o conhecer de Deus revela Jesus Cristo.. “A sabedoria é a coisa principal sim, com tudo o que possuis adquire o conhecimento” Pv 4.7. Bom, isto não contradiz o amor. A sabedoria, o amor e a fé estão intimamente associados para que tenhamos um relacionamento amistoso com Deus por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. Quem não conhece não ama, e nem se atem ao que dele dissermos. Hb 11. Complementa nosso pensamento com certezas, convicções e fatos sobre Deus. Os exemplos de fé descritos e sacramentados: sem fé é impossível agradar a Deus. Hb 11.6.

Vamos largar as coisas menos importantes e como diz Paulo: “Prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Jesus Cristo Fp 4.14”. Deus nos guarde em Cristo Jesus.

 

Por Evangelista Estevão de Souza

Categorias